Risco de depressão é maior em quem sofre com acne, diz estudo!

Pesquisa com mais de 1,8 milhão de pessoas comprova relação entre a saúde da pele e a da mente

Por meio de uma análise da plataforma eletrônica britânica de dados médicos, uma das maiores do mundo, pesquisadores descobriram que pacientes diagnosticados com acne são 63% mais propensos a desenvolver o transtorno mental  em comparação a pessoas que têm a pele lisinha, isso no ano em que começam a aparecer as espinhas.

Que a adolescência é uma fase difícil, nós já sabemos, não é? Mas, você imaginava que essa confusão de hormônios que se manifesta em forma de espinhas poderia complicar a tal ponto? De acordo com a pesquisa, o risco de depressão em pessoas que sofrem com acne é consideravelmente maior. Os resultados foram publicados no British Journal of Dermatology.

Essa pesquisa contou com informações de 134 mil homens e mulheres com acne, e 1,7 milhão sem, acompanhados durante 15 anos. Apesar das erupções na pele serem mais comuns durante a adolescência, a idade dos participantes variou dos sete aos 50 anos.

Durante o período estudado, 18,5% do total dos participantes que sofriam com o problema de pele desenvolveram depressão, já entre os que não tinham espinhas foram só 12%. E foi observado que o auge do risco de depressão aconteceu no primeiro ano de diagnóstico de acne (63%). Depois de cinco anos, a propensão à depressão de pessoas com ou sem espinhas se equiparou.

De acordo com a autora do estudo, Isabelle Vallerand, da Universidade de Calgary, “este estudo destaca uma ligação importante entre a doença da pele e a doença mental. Para pacientes com acne, é mais do que um incômodo na pele… pode desencadear preocupações significativas de saúde mental e deve ser levado a sério”.

E uma pesquisa prévia, realizada pela British Skin Foundation com 2 mil pessoas com acne explica um pouco os altos índices de depressão: mais da metade dos participantes já foi insultado por alguém próximo por causa do aspecto da pele, e um em cada cinco já levou um pé na bunda por isso e mais de 10% diz ter perdido o emprego devido às bolinhas avermelhadas, afirma o estudo.

Recomendamos para você:  Fones de ouvido podem causar perda da audição, alerta conselho!

Segundo dados da a Organização Mundial da Saúde (OMS), a depressão é a principal causa de incapacitação no planeta e o número de casos da patologia aumentou 18% entre 2005 e 2015. No Brasil, o números também não são otimistas: somos o país com maior prevalência de depressão na América Latina – 11,5 milhões de brasileiros sofrem com o transtorno. No mundo, a depressão afeta 322 milhões de pessoas (4,4% da população global).

Com informações Revista Super Interessante

Para Você

As informações aqui fornecidas, não devem substituir o aconselhamento médico ou de qualquer outro profissional qualificado. Elas são de responsabilidade do seu autor e não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer doença. Procure sempre o aconselhamento de seu médico ou profissional da área de saúde para maiores esclarecimentos. Não interrompa o tratamento e/ou indicações médicas.

NOSSA MISSÃO:
Ser um sistema global de armazenamento de informações de saúde on-line, colaborativo, contemplando multifunções e cruzamento de dados, proporcionando o bem estar do ser humano através da segurança do histórico de saúde.

NOSSA VISÃO:
Tornar-se o sistema mundial de referência da informação da área da saúde até 2022, gerando dados relevantes e importantes para o ser humano.

NOSSOS VALORES:
Respeito, Igualdade, Confiança, Ética, Segurança, Qualidade de vida.

Ajude a Rais!

Contribua para que possamos continuar a promover uma vida saudável para cada vez mais pessoas.

Receba mais saúde por e-mail.

Comentários