Varicela / Zoster

O nome reflete as duas doenças associadas ao vírus, Varicela (catapora) e Zoster (cobreiro).

26/11/2016

VARICELA – ZOSTER

O homem é o único hospedeiro natural do vírus Varicela – zoster (V – Z).

O nome reflete as duas doenças associadas ao vírus, Varicela (catapora) e Zoster (cobreiro). A infecção primária pelo vírus V-Z  resulta nas manifestações clínicas da catapora. Após isso o vírus entra numa fase latente, presumivelmente dentro dos núcleos dos neurônios nos gânglios das raízes dorsais. A reativação do vírus resulta nas manifestações clínicas características do Zoster.

Aspectos clínicos

O período de incubação é geralmente de 14 à 21 dias, podendo levar um período prodrômico de 1 a 3 dias de febre, cefaléia mal-estar antes da erupção do exantema macular vermelho que progride a pápulas, vesículas e pústulas que se transformam em crostas e são eliminadas sem a formação de cicatriz.

A erupção é centrípeta, afetando o tronco mais intensamente do que as extremidades,  palma das mãos e planta dos pés. Todas as fazes estão presentes simultaneamente. As lesões apresentam-se também no couro cabeludo e mucosas.

A varicela (catapora) é uma doença benigna mas altamente infecciosa, principalmente a de crianças.

As complicações são raras, embora possa ocorrer encefalite, cerca de 5 a 10 dias após a erupção.

Em crianças apresentando deficiências imunológicas, a doença pode ser grave.

Transmissão

A transmissão se dá através de células infectadas, pelo líquido vesicular e o modo presumível de transmissão é pelos perdigotos mas só ocasionalmente o vírus é isolado deste sítio.

Em mulheres com idade de procriação é rara a varicela, mas, defeitos congênitos foram relatados em crianças nascidas após a varicela materna ocorridas durante o  1 º trimestre da gravidez.

image002 image006 image010

Imunidade

A infecção prévia com a varicela deixa o paciente com imunidade duradoura para varicela, entretanto o zoster pode ocorrer, isso é uma reativação da infecção pelo vírus varicela, que ficou latente durante anos.

Recomendamos para você:  CAPC e a Iniciativa Beleza contra o Câncer.

Epidemiologia

A varicela é uma doença endêmica comum na infância, com maior incidência em crianças de 2 a 8 anos de idade. É epidêmica no inverno e primavera e é de fácil disseminação.

A zoster é uma doença esporádica e sua ocorrência é comumente em pessoas com idade acima de 45 anos, sem predileção por sexo e raça e é rara em crianças.

A imunidade humoral à varicela não protege contra a reativação  e o Zoster clínico.

Diagnóstico Laboratorial

A infecção típica nas crianças e a varicela e nos adultos é a zoster, o diagnóstico pode ser feito com exatidão pelo clínico, entretanto a infecção pelo vírus do herpes simplex pode causar uma erupção vesicular idêntica à infecção do vírus V-Z e deverá ser suspeitada nos pacientes com zoster “recorrente” e nestes casos deve-se confirmar a infecção recuperando o vírus em culturas de fibroblastos humanos diplóides.

O fluido vesicular é a fonte mais garantida para o isolamento do vírus.

O diagnóstico rápido pode ser realizado pela imunofluorescência direta detectando os antígenos virais nas lesões vesiculares.

Os métodos sorológicos de ficção do complemento são relativamente sensíveis mas só é útil para a confirmação da infecção recente. A escolha comum é a imunofluorescência

Outubro/2002

Bibliografia:

– Microbiologia médica 13 a  edição – 1980

Hernest Jawetz, PhD, MD ,  Joseph  L. Melnick, PhD, Edward A. Adelberg, PhD

– Diagnósticos clínicos e conduta terapêutica por exames laboratoriais 16 ª edição

1983 – Todd – Sanford – Davidsohn

– Microbiologia e Imunologia 23 ª edição – 1984

Otto Bier

– Diagnósticos clínicos e tratamento por métodos laboratoriais 18 ª edição – 1995

John Bernard Henry

Para Você

As informações aqui fornecidas, não devem substituir o aconselhamento médico ou de qualquer outro profissional qualificado. Elas são de responsabilidade do seu autor e não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer doença. Procure sempre o aconselhamento de seu médico ou profissional da área de saúde para maiores esclarecimentos. Não interrompa o tratamento e/ou indicações médicas.

Analista Clínico, Hematologista e participante do Programa de Estudos Avançados em Administração Hospitalar e de Sistemas de Saúde – Gestão em Laboratório de Patologia Clínica pelo HC/FMUSP.

Ajude a Rais!

Contribua para que possamos continuar a promover uma vida saudável para cada vez mais pessoas.

Receba mais saúde por e-mail.

Comentários