Você passou o dia cansado? Isso pode ser devido a sua má qualidade do sono.

Veja a seguir como dormir melhor pode interferir na sua saúde.

Dizer que estamos cansados já virou rotina. Às vezes é resposta sem pensar de um “Está tudo bem?”, ou até mesmo uma desculpa para não sairmos de casa e ficar curtindo aquela preguiça.

Essa rotina se instalou de tal forma que muitos não pararam para se perguntar se todo esse cansaço e stress do dia-a-dia é normal. Será que é normal se privar de realizar atividades que seriam prazerosas devido a esse “cansaço”?

A qualidade do nosso sono vem sendo afetada pela nossa rotina cada vez mais agitada e online – Quem nunca ouviu que nosso celular, nossa TV, nosso tablet e entre outros aparelhos que nos acompanham todos os dias atrapalham nosso sono se usados próximo a hora de dormir?

É difícil abandonar o hábito de checar as redes sociais pela última vez no dia, ver aquele vídeo ou passar a fase daquele jogo, embora seja muito necessário abrirmos mão desses costumes por um sono melhor.
Hoje vivemos num mundo na tentativa de sermos cada vez mais saudáveis. A alimentação melhor, a prática de exercícios físicos e melhora da saúde em geral estão no desejo, se não na prática, da maioria das pessoas.

Veja mais:

A qualidade do sono e nossa saúde.

Porém, ao passo que a saúde aumenta por estes motivos, ela é prejudicada pela má qualidade do sono. Devemos nos atentar a isso e dar a importância merecida à saúde das nossas noites de descanso.
A lista a seguir apresenta alguns benefícios trazidos pelo equilíbrio hormonal e metabólico ao corpo de quem habitualmente tem uma noite “bem dormida”:
1.      Durante a noite liberamos a leptina, um hormônio o qual promove maior saciedade em relação aos alimentos que comemos durante o dia, facilitando o emagrecimento.
2.      Pessoas que dormem satisfatoriamente durante a noite apresentam um emagrecimento saudável devido a maior capacidade de perder gordura quando perdem peso, e não perder massa magra.
3.      Enquanto dormimos o nosso cérebro “limpa” o que for desnecessário e fixa informações importantes, assim, quem dorme bem possui uma memória melhor.
4.      Quem dorme de seis a oito horas apresenta menor incidência de depressão, foi o que um estudo do Cleveland Clinic Sleep Disorders Center nos Estados Unidos evidenciou.
5.      Em se tratando de hormônios, o hormônio do crescimento ou GH é produzido enquanto dormimos, ele melhora o desempenho muscular, evita o acumulo de gordura e combate a osteoporose. Pessoas que acordam muito durante a noite não conseguem produzir GH satisfatoriamente.

Recomendamos para você:  Confira 5 alimentos importantes para o desenvolvimento cerebral da criança!
Veja Mais:

Problemas de uma noite mal dormida.

Enquanto uma noite “mal dormida” pode trazer os seguintes problemas:
1.      Um deles é a resistência à insulina, o que faz o controle da glicemia ser mais difícil, podendo agravar o quadro de pacientes que já são diabéticos ou causar o aparecimento da diabetes mellitus do tipo 2.
2.      Uma noite com muitas interrupções, impede que cheguemos aos estágios mais profundos do sono. Com isso, não descansamos suficientemente e durante o dia nos apresentamos com maior irritabilidade, sonolência e dificuldade para nos concentrarmos. Esse comportamento aumenta o stress e diminui a produtividade nas atividades diárias.
3.      Colesterol aumentado e maiores riscos de acidentes cardiovasculares também são consequências da má qualidade do sono, isso significa que dormir mal cronicamente aumenta as chances de acidentes vasculares cerebrais e infartos do miocárdio.

Agora que sabemos o quanto a qualidade das nossas noites de sono é importante para a nossa saúde geral precisamos cuidar do descanso assim como cuidamos do corpo, para estarmos cada dia mais saudáveis.

Então, pretende dormir melhor? Que tal começar essa noite? Não atrase seu sono de hoje para o cansaço não atrasar o seu dia amanhã.

Veja Mais:

Para Você

As informações aqui fornecidas, não devem substituir o aconselhamento médico ou de qualquer outro profissional qualificado. Elas são de responsabilidade do seu autor e não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer doença. Procure sempre o aconselhamento de seu médico ou profissional da área de saúde para maiores esclarecimentos. Não interrompa o tratamento e/ou indicações médicas.

Gabriela de Andrade Vidoto, 19 anos, Cursando o 3º ano de Medicina na PUCPR Campus Londrina, Diretora da Semioliga (Liga Acadêmica de Semiologia Médica da PUCPR Campus Londrina)

Ajude a Rais!

Contribua para que possamos continuar a promover uma vida saudável para cada vez mais pessoas.

Receba mais saúde por e-mail.

Comentários