O da Vinci na medicina.

A inovação tecnológica que vai mudar a medicina cirúrgica.

A evolução do conhecimento médico é constante. O diagnóstico mais preciso, mais precoce é sempre motivo de obstinação para pesquisadores e médicos.

Mesmo assim, pacientes ainda devem ser submetidos a tratamentos cirúrgicos. A clínica cirúrgica também vem evoluindo de maneira exponencial.

Desde a introdução da videolaparoscopia as técnicas minimamente invasivas vem sofrendo grandes transformações.

Veja mais: O câncer de próstata e a sua nova graduação.

A videolaparoscopia e os avanços na medicina.

A videolaparoscopia consiste em uma técnica cirúrgica que é realizada através do auxílio de uma câmera introduzida por um trocânter abdominal. O trocânter consiste em um tubo oco e por eles pode-se introduzir a câmera, pinças, eletrocautério entre outros utensílios que podem ser usados durante o procedimento. Os benefícios desta técnica são incontáveis.

A videolaparoscopia consiste em uma técnica cirúrgica que é realizada através do auxílio de uma câmera introduzida por um trocânter abdominal.

A videolaparoscopia consiste em uma técnica cirúrgica que é realizada através do auxílio de uma câmera introduzida por um trocânter abdominal.

Acessos cirúrgicos que antes resultavam em grandes incisões hoje na maioria dos casos ficam restritos a 3 ou 4 orifícios abdominais. E não é só a parte estética que é beneficiada. Pacientes submetidos a esta modalidade cirúrgica tem menor tempo de internação, melhores taxas de infecção de sítio cirúrgico além de redução no tempo de recuperação e retorno as atividades diárias.

Acessos cirúrgicos na maioria dos casos ficam restritos a 3 ou 4 orifícios abdominais.

Acessos cirúrgicos na maioria dos casos ficam restritos a 3 ou 4 orifícios abdominais.

O impacto para o paciente em idade produtiva é muito grande sem falar na imensa redução de custos de hospitais e operadoras de saúde. Os avanços nas técnicas cirúrgicas vem dando espaço a outra modalidade, o robô da Vinci.

Veja também: 4 sinais de que você pode ter deficiência de vitamina D

O Robô da Vinci.

 

O da Vinci consiste em um robô controlado por um médico à longa distância.

O da Vinci consiste em um robô controlado por um médico à longa distância.

O da Vinci consiste em um robô controlado por um médico à longa distância. O resultado desta tecnologia são procedimentos ainda menos invasivos com ótimas taxas de recuperação. O da Vinci é bastante difundido nos EUA e na Europa, são ao todo 600 robôs operando em todo o mundo. Alguns poucos hospitais no Brasil tem essa tecnologia disponível.

Recomendamos para você:  Tuberculose Pulmonar - 70 mil casos novos por ano no Brasil

Desenvolvido para ser usado nos campos de batalha, onde médicos especialistas não podiam estar “in loco” para atuar o da Vinci é útil principalmente em cirurgias abdominais, urológicas e ginecológicas.

Durante a cirurgia o médico observa e atua através de braços controlados em uma cabine de comando no campo operatório com visão em 3 dimensões, além de não precisar manejar diretamente órgãos.

Veja também: 8 semanas de meditação podem mudar seu cérebro

Este sistema permite obtenção de ângulos que não seria possível em uma cirurgia aberta. As pinças são completamente basculantes e permitem rotação completa, dando total mobilidade ao operador. Além disso, as incisões são ainda menores quando comparada as videolaparoscopia.

Este vídeo mostra uma “operação” em uma uva, com o detalhe da precisão dos movimentos.

O outro lado da Tecnologia Robótica na Medicina.

Apesar de ser um grande avanço o da Vinci ainda não é unanimidade entre os cirurgiões. Há profissionais que relatam dificuldades em relação ao uso do equipamento. A principal restrição para o uso amplo desta nova técnica é o tempo de treinamento requerido.

Veja também: Você sabe o que é Herpes Zoster?

Estima-se que um médico para estar completamente apto para o uso deste equipamento deve ter pelo menos o dobro de tempo de treinamento em relação a videolaparoscopia. Além disso, muitos profissionais relatam que o robô diminui consideravelmente o tato do profissional durante o ato.

Dobrar um simples papel pode ser uma tarefa bem lenta e exigir muita prática. Mas com certeza a precisão é “cirúrgica”.

Enquanto o uso do da Vinci seja uma realidade nos Estados Unidos e na Europa e tem seu uso feito em larga escala em alguns centros, no Brasil esta tecnologia ainda é para pouco. O da Vinci é muito caro, cerca de 5 milhões de reais, e apenas alguns selecionados centros tem a máquina disponível. De qualquer forma esta é uma tecnologia que ganha campo e cada vez mais será usada e aplicada a realidade médica.

Para Você

As informações aqui fornecidas, não devem substituir o aconselhamento médico ou de qualquer outro profissional qualificado. Elas são de responsabilidade do seu autor e não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer doença. Procure sempre o aconselhamento de seu médico ou profissional da área de saúde para maiores esclarecimentos. Não interrompa o tratamento e/ou indicações médicas.

Ajude a Rais!

Contribua para que possamos continuar a promover uma vida saudável para cada vez mais pessoas.

Receba mais saúde por e-mail.

Comentários