Cuidados para a folia: ortopedista alerta sobre uso de analgésicos no carnaval

Analgésicos sem prescrição médica pode ocasionar alterações na pressão arterial, sérios problemas gastrointestinais e, em casos extremos, alterações renais e cardíacas

Estamos quase lá: uma semana para o carnaval e o corpo já está preparado para a diversas opções de diversão, não é? Mas o Blog Rais veio lembrar que até nesta época todo cuidado é pouco, e que alguns cuidados com a saúde são essenciais, principalmente para quem acompanha blocos e trios elétricos ou desfila em escolas de samba. Dentre as regras básicas: alimentação leve, consumo moderado de álcool e ingerir bastante água! Mas muita gente esquece de cuidar do corpo também, ou seja: das articulações, que precisam estar preparadas para aguentar a agitação desses dias de festa.

E para desfrutar da folia sem riscos, trouxemos algumas precauções essenciais indicadas pelo médico ortopedista Vitor Trazzi, da Altacasa Clínica Médica: fazer alongamentos leves pela manhã e à noite; tomar cuidado com terrenos acidentados e/ou buracos na rua; e usar calçados confortáveis (por favor!) para maior conforto dos pés e membros inferiores: a sobrecarga gerada por horas caminhando, dançando ou até mesmo ficando em pé pode resultar em fadiga muscular e aumento da tensão nas articulações dos membros inferiores, resultando muitas vezes, em dor e desconforto.

De acordo com o especialista: “durante o carnaval, a permanência por longos períodos em pé, andando e dançando nos blocos e bailes, pode gerar desconfortos lombares e articulares, principalmente nos membros inferiores. Estes, por sua vez, também apresentam o risco de traumas torcionais – principalmente devido a irregularidade das ruas e calçadas. Quedas também podem ocorrer”. Portanto, é melhor evitar!

Cuidado com excesso de álcool e medicamentos

Uma outra coisa que também pode acontecer durante a folia são lesões relacionadas ao consumo abusivo de bebida alcoólica. Esta é uma outra preocupação apontada pelo ortopedista que precisa de atenção: “É importante moderar o consumo de álcool. Com o excesso, ocorre a diminuição dos reflexos e da propriocepção – capacidade corpórea de se auto perceber no ambiente, facilitando quedas em calçadas e tropeções, que podem causar desde lesões simples, como contusões, até situações mais graves, como fraturas. A queda com uma garrafa de vidro na mão, por exemplo, pode produzir ferimentos que podem chegar a seccionar tendões”. Deste modo, é melhor moderar na bebida e não chegar e muito menos ultrapassar os limites.

Recomendamos para você:  Seis coisas importantes que seu corpo pode estar tentando dizer a você!

E não para por aí: uma precaução pode levar a outra! De acordo com o médico, na capital paulista, o uso indiscriminado de remédios sem orientação médica para alívio de dores e mal estar também pode causar sérios problemas: “O uso de analgésicos (dipirona ou paracetamol) e, eventualmente, um relaxante muscular, pode ajudar os foliões a aliviar dores. Mas é preciso cuidado ao tomar anti-inflamatórios sem a devida prescrição médica, já que este tipo de medicamento pode ocasionar alterações na pressão arterial, sérios problemas gastrointestinais e, em casos extremos, alterações renais e cardíacas. No caso específico de relaxantes musculares, sua associação com álcool pode levar à sonolência extrema e provocar acidentes de trânsito”, orienta o especialista.

Idosos na folia

Para os idosos ou pessoas consideradas da “terceira idade” aproveitarem a folia também o ortopedista chama a atenção para alguns cuidados a fim de evitar quadros mais graves como fraturas, consequente da quantidade de massa muscular e mineral óssea por conta do processo natural de envelhecimento, assim como a redução do equilíbrio e da coordenação motora.

Por isso, o especialista alerta: “Os idosos podem e devem brincar no Carnaval, mas os cuidados devem ser redobrados. Devem priorizar o uso de calçados confortáveis e ter cuidado ao andar nas calçadas irregulares. Como em todos os dias, mas principalmente quando se caminha por um período maior, o mais seguro é o uso de sapatos baixos e planos, de preferência tênis, pois os mesmos geram mais estabilidade do pé e tornozelo. O calçado deve ter também um solado aderente ao solo, não deve ser liso para não causar escorregões”, aconselha o ortopedista. E ele complementa: “o uso de meias de algodão limpas e secas ajuda a evitar bolhas e dores fortes nos pés”.

Recomendamos para você:  Vamos começar a semana de forma saudável? Confira 9 alimentos que podem ser assados em vez de fritos!

E aí, agora sim preparado (ª) para a folia?!

.

.

Com informações Portal Bonde

Para Você

As informações aqui fornecidas, não devem substituir o aconselhamento médico ou de qualquer outro profissional qualificado. Elas são de responsabilidade do seu autor e não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer doença. Procure sempre o aconselhamento de seu médico ou profissional da área de saúde para maiores esclarecimentos. Não interrompa o tratamento e/ou indicações médicas.

NOSSA MISSÃO:
Ser um sistema global de armazenamento de informações de saúde on-line, colaborativo, contemplando multifunções e cruzamento de dados, proporcionando o bem estar do ser humano através da segurança do histórico de saúde.

NOSSA VISÃO:
Tornar-se o sistema mundial de referência da informação da área da saúde até 2022, gerando dados relevantes e importantes para o ser humano.

NOSSOS VALORES:
Respeito, Igualdade, Confiança, Ética, Segurança, Qualidade de vida.

Ajude a Rais!

Contribua para que possamos continuar a promover uma vida saudável para cada vez mais pessoas.

Receba mais saúde por e-mail.

Comentários