Quanto tempo você gostaria de viver?

Você já se perguntou por quanto tempo você gostaria de viver? O Dr. Ezekiel J Emanuel, creditado do Centro ObamaCare nos Estados Unidos já e afirma que a melhor idade é até os 75 anos.

06/01/2015

rais-data-quanto-tempo-gostaria-de-viver-header2.jpg

Você já se perguntou por quanto tempo você gostaria de viver? O Dr. Ezekiel J Emanuel, creditado do Centro ObamaCare nos Estados Unidos já e afirma que a melhor idade é até os 75 anos. Ele acredita que morrer cedo pode roubar das pessoas algumas experiências mas ao mesmo tempo a longevidade também é uma perda.

Coluna #005 – Papo de Aeroporto: “Quanto tempo você gostaria de viver?”

Sem tempo? Use a Leitura dinâmica: leia somente o texto em negrito e terá o resumo da matéria.

Dr. Ezekiel J Emanuel

Dr. Ezekiel J Emanuel

Veja Também:

Porque 75 anos?

Segundo o Dr. Ezekiel, até os 75 anos você não perdeu muito de sua capacidade cognitiva. Quanto mais você envelhece, mais fica susceptível a ter uma doença como doenças cardíacas, câncer, enfisema, acidente vascular cerebral, doença de Alzheimer, diabetes, dentre outras. E como a recuperação em idade avançada já não é a mesmo, possivelmente esta doença irá te roubar alguma virilidade e te deixar mais devagar.

Então, as pessoas vão lembrar de você fraco e velho e não mais viril como era na juventude. Viver demais compromete a sua habilidade de contribuir para a sociedade com trabalho e transformar o mundo. Ou seja, na visão do Dr. Ezekiel, se você vive demais você vira um peso para a sociedade se tornando deficitário, ineficaz e até mesmo patético.

Recomendamos para você:  Especialidades médicas mais bem remuneradas no Brasil e no mundo.

E o que mais vem com a idade?

Além das possíveis doenças, se nada disso acontecer com você, ainda está susceptível a perda de criatividade. Com a idade passando, você não gera neurônios novos, e estes neurônios vão perdendo a capacidade de fazer novas conexões. Assim sendo, você se torna menos criativo e menos flexível a mudanças, bem como você tende a navegar por terrenos mais seguros, executando projetos e atividades que você mais conhece e que terá maiores chances de concluir.

E ainda as pessoas mais velhas tendem a limitar suas atividades a coisas simples, como assistir ao nascimento de um pássaro, andar de bicicleta ou ler um livro. Então, segundo Ezekiel, 75 anos seria a idade ideal para já ter curtido com os filhos, visto os netos e talvez os bisnetos nascerem e crescerem, realizado as grandes obras de sua vida e ainda estar com virilidade para que as pessoas não se sintam incomodadas ou com pena de você.

 rais-data-quanto-tempo-gostaria-de-viver-header3.jpg

Uma outra visão para esta perspectiva

Se você ler o texto inteiro do Dr. Ezekiel aqui e tiver a mente um pouco aberta, verá que ele está repleto que crenças limitantes. Eu particularmente vi algumas.

A primeira é que ele se baseia no fato de que todos ao chegarem em uma certa idade começam a fazer atividades supérfluas como andar de bicicleta ou ler um livro e que os que insistem em se manter ativos são fadados a perder criatividade devido ao fato de que os nossos neurônios perdem a capacidade de fazer novas ligações.

Sinceramente eu acredito que esta realidade está mudando para as novas gerações. Até grandes empreendedores já pensam muito diferente disso e se mantém ativos e produzindo por muito mais tempo. O fato é que ter bons hábitos pela vida toda, pode transformar sua estrutura mental e física, mesmo em uma idade mais avançada. Mas as novas gerações já vêm cultivando hábitos melhores desde cedo, então a expectativa de vida, ou melhor, a expectativa de uma melhor qualidade de vida está aumentando. A tendência é que esta geração que se exercita mais, come melhor e procura ter hábitos mais saudáveis venha a envelhecer melhor e ainda assim contribuir para a sociedade.

rais-data-quanto-tempo-gostaria-de-viver-header

Sem falar que outra premissa, que na minha opinião é a mais importante, também não é levada em conta, que é a evolução da tecnologia. Já existem estudos, por exemplo, aqui no Brasil que mostram tratamentos eficientes de Alzheimer. Com a tecnologia possivelmente poderemos envelhecer com mais qualidade de vida.

Recomendamos para você:  Bebês precisam tirar uma soneca para aprender melhor

Para finalizar uma visão do que realmente importa

Coloquei no texto uma visão diferente da do Dr. Ezekiel para trazer outro ponto de vista. Mas o que importa é que na visão dele, 75 anos está bom. E na sua visão, quanto é o ideal? Já pensou no que você deseja realizar na vida?

Na minha opinião 75 anos é pouco. Nós aprendemos a viver depois dos 40 anos e mesmo assim ainda temos muita coisa para aprender. O mundo é muito diverso e sempre terá uma coisa nova surgindo. Acredito que um dos vários segredos da vida seja estar aberto para evoluir. Quem for flexível o suficiente conseguirá acompanhar o que está por vir e desta maneira, conseguir envelhecer bem e ainda contribuir para o mundo, mesmo na velhice.

Veja Também:

 rais-data-quanto-tempo-gostaria-de-viver-envelhecer-bem

Atividade física, bons hábitos e cuidados com a saúde física e mental estão mais que comprovados que tem efetividade a curto, médio e longo prazo.

Agora se você deixa seu corpo no automático, pode ter certeza que a premissa do Dr. Ezekiel será verdadeira ou até pior. Nosso corpo é como um carro, se fizer todas as manutenções e sempre cuidar, pode durar por muito tempo e até melhor depois de velho. Agora só abastece em calibra os pneus para ver. Uma hora ou outra você vai ficar na estrada.

Fontes:

#vivermaisemelhor #envelhecerbem #viverate75anos #raisdata #rais #bigdata #saude

Para Você

As informações aqui fornecidas, não devem substituir o aconselhamento médico ou de qualquer outro profissional qualificado. Elas são de responsabilidade do seu autor e não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer doença. Procure sempre o aconselhamento de seu médico ou profissional da área de saúde para maiores esclarecimentos. Não interrompa o tratamento e/ou indicações médicas.

CEO da Rais Saúde e da Connect HealthCare.
Técnico em Alimentos pelo CEFET-PR (99), Engenheiro Eletricista pela UDESC-SC (2009), MBA em Gestão empresarial pela FGV (2013), Trainee e 5 anos de experiência com Gestão de Projetos e Pessoas pela indústria de linha branca (2009-2014). Curioso em programação, blogs e sistemas e tudo que envolva Startups (minha fase atual profissional).

Atleta desde pequeno, apaixonado por basquete (já fui atleta semi-profissional na juventude), por academia e corrida (mas adoro esportes em geral) e música (toco meu violãozinho meia boca).

Também gosto de ciência (de onde viemos e para onde vamos) e neurociência, meditação e sempre curioso sobre como deixar nossa máquina “corpo humano” mais afinada e obter a melhor performance para o nosso dia-a-dia.

Ajude a Rais!

Contribua para que possamos continuar a promover uma vida saudável para cada vez mais pessoas.

Receba mais saúde por e-mail.

Comentários