Uma retirada de um Tumor cerebral um tanto inusitada.

Brasileiro de 33 anos toca Beatles durante uma cirurgia para remover um tumor cerebral.

Fabiano Teodoro

16/07/2015

Tempo de Leitura: 5 minutos

O brasileiro Anthony Kulkamp Dias, bancário de 33 anos de idade, fez algo um tanto inusitado durante um procedimento cirúrgico de retirada de um tumor cerebral. Enquanto os médicos removiam o tumor, ele tocou Beatles para se manter consciente.

O vídeo ganhou repercussão internacional, saindo em portais como o The Guardian entre outros.

Ao permanecer consciente, o paciente permite aos médicos mapear o cérebro e efetuar o procedimento de forma segura, evitando ferimentos em outras áreas do cérebro durante a cirurgia como a sensorial, visão, motora e da fala.

A música do vídeo era Yesterday, quem não conhece pode conferir a letra e tradução aqui. Quem também gosta de tocar um violão pode aprender a cifra aqui neste site. Não é muito fácil tocar e cantar, precisa ter talento, ainda mais com a sua cabeça aberta e um monte de gente mexendo dentro, literalmente.

Veja também: 4 sinais de que você pode ter deficiência de vitamina D

Como foi a retirada do tumor cerebral com direito a show?

O que no vídeo parecia ser uma música somente, foi na verdade um show. Anthony teve todo um set list destinado ao momento da sua cirurgia.

Anthony Kulkamp Dias, bancário de 33 anos de idade e atualmente músico por Hobby.

Anthony Kulkamp Dias, bancário de 33 anos de idade e atualmente músico por Hobby. Créditos portal G1

“Toquei a música que fiz para o meu filho, uma dos Beatles, outra em alemão – já que o Dr. Michel fala alemão. E uma sertaneja, atendendo a pedidos”, disse ele em entrevista para o portal G1. E teve até bis, “Os médicos pediram para eu repetir a música sertaneja (“Telefone mudo”) duas vezes.”

“Toquei seis músicas em determinados momentos. A mão do lado direito estava um pouco fraca por causa do lado onde eles estavam mexendo. Então eu parava e descansava. Fui intercalando as músicas e conversando com eles.”

Recomendamos para você:  A Doença Celíaca, o mal do glúten

Anthony tocou profissionalmente durante 20 anos e agora vê a música como um hobby – além do violão, ele toca acordeom, teclado, trombone, trompete e flauta doce.

Veja também: 8 semanas de meditação podem mudar seu cérebro

A prática de manter um paciente acordado durante uma cirurgia cerebral não é novidade na medicina. É muito comum o paciente ficar acordado para que os médicos saibam que não houve nenhum dano em regiões motoras e da fala do paciente.

No hospital, este foi o procedimento de número 19, mas foi o primeiro em que o paciente tocou um instrumento musical. Ou seja, Anthony fez um show inédito.

A prática de manter o paciente acordado durante cirurgias cerebrais.

Quando o tumor cerebral se encontra próximo a regiões como a da fala, visão, sensorial e a motora é muito importante os médicos terem o retorno em tempo real do paciente, de maneira que conforme vão retirando o tumor, vão também verificando se nenhum dado a estas regiões importantes ocorrem.

Desta forma, as chances de evitar uma lesão durante o processo são muito altas e também a recuperação se dá mais rapidamente uma vez que é possível retirar uma porção muito maior do tumor se comparado com o processo em que o paciente está em estado de anestesia geral.

O desafio nestes procedimentos é manter o paciente acordado e consciente e ao mesmo tempo, com ausência de dor.

O site Diário Catarinense fez um esquema que mostra muito bem as regiões do cérebro que são envolvidas neste tipo de cirurgia.

Regiões do cérebro que são envolvidas neste tipo de cirurgia. Créditos Diário Catarinense.

Regiões do cérebro que são envolvidas neste tipo de cirurgia. Créditos Diário Catarinense.

Além deste procedimento, alguns neurocirurgiões também utilizam de ressonância magnética para avaliar exatamente o grau do tumor no paciente, mas neste processo é necessário retirar o paciente da sala de cirurgia para a ressonância.

Recomendamos para você:  Pode comemorar! Café e chocolate reduzem chance de doenças cardíacas!

Tem ainda o recurso que é o neuronavegador, assim durante a cirurgia você tem imagens de ressonância reais em um visor e com um aparelho você irá saber exatamente que área do cérebro está.

Foto Ilustrativa de um neuro navegador utilizado para retirada de tumores cerebrais.

Foto Ilustrativa de um neuro navegador utilizado para retirada de tumores cerebrais.

Veja também: O da Vinci na medicina.

Com a evolução da tecnologia, torna-se cada vez maiores as chances de sucesso em retiradas de tumores para cirurgias cerebrais.

Evitar a dor é um processo Crítico.

Em casos de cirurgias com pacientes acordados, evitar a dor é um processo muito crítico. Imagine um corte sendo feito em seu corpo e você sentindo tudo… é uma situação no mínimo agonizante.

Para entender um pouco do que esta dor pode ser, sugiro ver o filme Awake, que retrata uma história um pouco diferente da de Anthony, mas mostra profundamente como é a dor de um paciente que mesmo anestesiado, tem seu corpo paralisado e se mantém acordado durante todo o processo da cirurgia.

No filme o protagonista, em meio a agonia da dor da cirurgia ainda descobre uma trama em que sua própria esposa está envolvida. Vale a pena conferir, é um bom entretenimento e ainda serve para aprendizado neste processo todo de cirurgias.

Para Você

As informações aqui fornecidas, não devem substituir o aconselhamento médico ou de qualquer outro profissional qualificado. Elas são de responsabilidade do seu autor e não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer doença. Procure sempre o aconselhamento de seu médico ou profissional da área de saúde para maiores esclarecimentos. Não interrompa o tratamento e/ou indicações médicas.

Fabiano Teodoro

CEO da Rais Saúde e da Connect HealthCare.
Técnico em Alimentos pelo CEFET-PR (99), Engenheiro Eletricista pela UDESC-SC (2009), MBA em Gestão empresarial pela FGV (2013), Trainee e 5 anos de experiência com Gestão de Projetos e Pessoas pela indústria de linha branca (2009-2014). Curioso em programação, blogs e sistemas e tudo que envolva Startups (minha fase atual profissional).

Atleta desde pequeno, apaixonado por basquete (já fui atleta semi-profissional na juventude), por academia e corrida (mas adoro esportes em geral) e música (toco meu violãozinho meia boca).

Também gosto de ciência (de onde viemos e para onde vamos) e neurociência, meditação e sempre curioso sobre como deixar nossa máquina “corpo humano” mais afinada e obter a melhor performance para o nosso dia-a-dia.

Ajude a Rais!

Contribua para que possamos continuar a promover uma vida saudável para cada vez mais pessoas.

Receba mais saúde por e-mail.

Comentários