Anestesia geral: uma das maiores preocupações de quem vai fazer uma cirurgia plástica.

Apesar do medo, a anestesia é mais segura do que se imagina, saiba mais sobre ela.

26/04/2019

A anestesia faz parte de toda e qualquer cirurgia, ela é capaz de diminuir a sensibilidade do paciente, o que reduz ou bloqueia a dor sentida pelo paciente. Isso permite realizar os procedimentos sem nenhuma angústia ou sofrimento.

Farmacologicamente esse processo induz a amnésia e provoca a analgesia, seguida de perda dos reflexos musculares, diminuindo o estresse. Tudo isso para realizar a cirurgia de modo seguro e eficaz, sem danos ao paciente.

Apesar de ser um processo muito utilizado e difundido, muitas pessoas ainda tem medo da aplicação de anestesia. Para conhecer mais sobre esse procedimento continue lendo o nosso artigo!

O que é a anestesia geral?

A anestesia geral é um procedimento cirúrgico utilizado para sedar uma pessoa. Ela é capaz de diminuir a sensibilidade à dor e bloquear os reflexos musculares durante uma cirurgia.

Antes de começar a sedação do paciente através da anestesia geral, é dado ao indivíduo um medicamento ansiolítico, a fim de reduzir o estresse e diminuir a ansiedade antes de fazer a cirurgia.

Quais os tipos de anestesia?

A escolha do método a ser realizado depende do anestesista, da disponibilidade no hospital e do tipo de cirurgia plástica. Ela pode ser inalada através de uma máscara ou aplicada diretamente na veia.

Anestesia inalatória

Ela é feita pela inalação de gases que contêm medicamentos anestésicos. Nesse processo a medicação deve passar pelos pulmões, corrente sanguínea e chegar ao cérebro.

O médico anestesista vai decidir qual a quantidade e concentração do gás será aplicado. A anestesia pode ser aplicada por alguns minutos ou mesmo por algumas horas.

Para cortar o efeito do medicamento é preciso interromper a liberação desse gás. O corpo então elimina essa medicação que esta nos pulmões e no cérebro através do fígado e rins.

Recomendamos para você:  Sintomas físicos de transtorno de pânico e ansiedade

Anestesia pela veia

A anestesia pela veia é feita de forma injetável e causa uma sedação praticamente instantânea. A escolha do tipo de anestesia, concentração e quantidade de medicação utilizada vai depender do anestesista e do procedimento utilizado.

Quanto tempo pode durar a anestesia?

O tempo da sua duração vai depender do anestesista e do tipo de procedimento que está sendo realizado. Ela pode durar minutos ou até mesmo várias horas.

Para realizar a aplicação da anestesia o médico vai medir os batimentos cardíacos, pressão arterial e respiração do paciente. A sedação pode ser muito profunda, por isso deve ser realizado esse controle pelos aparelhos.

O anestesista procura deixar sempre o paciente com níveis mínimos de sedação, pois pode provocar hipotensão e diminuição dos batimentos cardíacos.

Recuperação após anestesia

Quando o procedimento cirúrgico esta terminando o anestesista vai diminuir a quantidade de anestesia que o paciente recebe. Nesse processo medicamentos opioides são administrados com o objetivo do paciente não acordar com dores.

Conforme o anestésico é eliminado do organismo o paciente começa a recuperar a sua consciência, onde vai começar a respirar por conta própria.

Após esse processo o indivíduo não se lembrará do ocorrido devido aos efeitos de amnésia provocados pela medicação.

Quais os riscos da utilização da anestesia geral?

Todo procedimento tem chances de haver uma complicação, com a anestesia geral não é diferente. Apesar de muitas pessoas terem medo de realizar esse procedimento são raros os casos em que há complicações.

Geralmente as complicações aparecem em pacientes que já possuem alguma doença, como doenças cardíacas, hepáticas, renais e pulmonares. Além disso pode ocorrer em decorrência de alguma complicação da própria cirurgia, como hemorragias ou falência dos órgãos.

Recomendamos para você:  Cura para o HIV - Cientistas britânicos podem ter encontrado? | Exame.com, BBC Brasil

É estimado que a chance de morte ao realizar uma anestesia geral é de apenas 0,005%, ou seja, pode haver 1 morte a cada 200.000 procedimentos, o que é muito raro.

 Quais as complicações desse procedimento?

Algumas pessoas podem apresentar alguns sintomas durante e após o processo anestésico. Alguns efeitos comuns que ocorrem são: enjoo, vômito, alergias relacionadas ao medicamento, boca seca, calafrios, dores musculares, dificuldade para urinar.

Pode ocorrer complicações mais graves como: parada respiratória, cardíaca e pulmonares. Porém esses problemas são raros e surgem em pessoas que já possuem a saúde debilitada.

Em alguns casos pode haver rouquidão, que é causada pela intubação orotraqueal. O Quadro melhora rapidamente de maneira espontânea. Isso acontece em apenas 10% dos casos.

Pode haver confusão mental e delírio. O delírio pode levar a um quadro de confusão mental e alteração da percepção do ambiente. Geralmente esse sintoma acontece em pacientes que apresentam idade mais avançada. Pacientes tabagistas, com AVC e demência também tem chances maiores de apresentar esse sintoma.

Problemas de memória também podem ocorrer, pois há uma redução das capacidades cognitivas. Esse sintoma aparece principalmente em pacientes idosos.

Precauções antes de realizar o procedimento

Antes de realizar a anestesia o paciente deve fazer um jejum de 8 horas e suspender medicações que cortem o efeito anestésico da cirurgia. Deve ser interrompido o uso de medicamentos anticoagulantes e anti-inflamatórios, pois podem aumentar as chances de haver um sangramento no local. Em crianças o cuidado é diferente, é necessário realizar um jejum de 4 horas, pois elas possuem um metabolismo mais acelerado.

É recomendado não utilizar qualquer material de metal, como pulseiras e anéis, pois podem dificultar a localização de veias. Unhas pintadas e grandes podem dificultar a medição dos níveis de oxigênio no sangue.

Recomendamos para você:  Você passou o dia cansado? Isso pode ser devido a sua má qualidade do sono.

A anestesia é um método seguro?

Sim, a anestesia é um procedimento muito testado e difundido e não é necessário ter qualquer medo deste procedimento. Há toda uma preparação e monitoramento durante a sua realização. Complicações relacionadas a anestesia geral são raras.

Em caso de dúvidas ou algum receio consulte o seu médico e anestesista. Esses profissionais são aptos e treinados, estão preparados para qualquer complicação que venha ocorrer durante o procedimento.

Conseguiu tirar todas as suas dúvidas sobre a anestesia geral? Comente e diga o que achou desse artigo. Para ver mais conteúdos como este, não deixe de acompanhar a nossa página e fique por dentro de todas as novidades.

Comentários

Para Você

As informações aqui fornecidas, não devem substituir o aconselhamento médico ou de qualquer outro profissional qualificado. Elas são de responsabilidade do seu autor e não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer doença. Procure sempre o aconselhamento de seu médico ou profissional da área de saúde para maiores esclarecimentos. Não interrompa o tratamento e/ou indicações médicas.

O AesCare é uma rede social feita de mulheres para mulheres. Na plataforma é possível encontrar relatos, informações e todo suporte necessário para a paciente tomar a decisão da cirurgia plástica.

Ajude a Rais!

Contribua para que possamos continuar a promover uma vida saudável para cada vez mais pessoas.

Receba mais saúde por e-mail.