Omeprazol dobra risco de câncer no estômago, diz estudo!

Pesquisa com mais de 60 mil voluntários associou o consumo prolongado do antiácido ao desenvolvimento de tumores

O composto químico PPIs – não muito conhecido, mas princípio ativo de grande parte de remédios que combatem gastrite, refluxo e úlceras, como, por exemplo, o omeprazol, têm, de acordo com um estudo, 2,4 vezes mais chances de desenvolver câncer no estômago.  A pesquisa foi realizada recentemente por pesquisadores da Universidade de Hong Kong e foi divulgado em artigo científico.

A sigla “PPI” – em inglês, que significa inibidores da bomba de prótons, age na diminuição da produção de ácido pelas paredes do estômago. Uma estimativa revelou que cerca de 40% da população adulta sofra ou já tenha sofrido com refluxo gastroesofágico, o que tornou o omeprazol o medicamento mais vendido do mundo no final da década de 1990.

Com tanto sucesso e também muita crítica, o omeprazol foi alvo de muita investigação científica. Em pesquisas antigas, relações entre o consumo prolongado do medicamento e o câncer de estômago já haviam aparecido, entretanto,  uma bactéria de nome científico Helicobacter pylori, que habita o estômago, poderia ser tão culpada por incentivar o aparecimento de tumores quanto a droga.

A pesquisa

O médico Ka Shing Cheung, que conduziu o estudo, e sua equipe analisaram a evolução do estado clínico de 63,4 mil cidadãos de Hong Kong, todos com prescrições para uso prolongado do antiácido entre 2003 e 2012. Além disso,  também tomaram antibióticos para eliminar a bactéria H. pylori.

Uma parte do grupo usou drogas PPI, como o omeprazol. Já a outra parte consumiu anti-histamínicos H2, medicamentos que são menos eficazes, mas que possuem a mesma função. No final do estudo, 153 pessoas tinham desenvolvido câncer no estômago.

Como a bactéria estava fora da jogada, já que foi tratada, o resultado não recebeu influências. Os efeitos colaterais com o uso de drogas com outros princípios ativos também foram comparados, já que  um grupo de pessoas não tomou o omeprazou.

No resultado, os pacientes que consumiam omeprazol diariamente tiveram câncer com frequência quatro vezes maior que os usuários semanais do medicamento. Já as pessoas que utilizaram a droga por mais de um ano, apresentaram cinco vezes mais chances de desenvolver a doença e, de três anos em diante, oito vezes. Em média, o consumo de PPIs aumentou duas vezes e meia o risco do paciente sofrer com um tumor em longo prazo.

Recomendamos para você:  Welcome to SIOP 2017!

Vale ressaltar que o estudo é estatístico: não foi encontrada uma resposta ou um agente químico que explique por que, na prática, drogas como omeprazol podem desencadear o problema.

Com a grande análise, não foram consideradas variáveis específicas, como o consumo de álcool e tabaco. Ou seja: mesmo que os números – combinados à longa lista de estudos já disponíveis sobre os riscos dos PPIs – deem força à associação, você não deve parar de usar o medicamento. Muitas pesquisas ainda serão realizadas!

“Há uma clara relação entre o tamanho da dose e o consumo da dose de PPIs e o risco de câncer no estômago. Os médicos devem tomar cuidado ao prescrever medicamentos com PPIs para os pacientes, mesmo após a erradicação da H. pylori.”, consta no artigo científico.

Com informações Revista Super Interessante

Para Você

As informações aqui fornecidas, não devem substituir o aconselhamento médico ou de qualquer outro profissional qualificado. Elas são de responsabilidade do seu autor e não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer doença. Procure sempre o aconselhamento de seu médico ou profissional da área de saúde para maiores esclarecimentos. Não interrompa o tratamento e/ou indicações médicas.

NOSSA MISSÃO:
Ser um sistema global de armazenamento de informações de saúde on-line, colaborativo, contemplando multifunções e cruzamento de dados, proporcionando o bem estar do ser humano através da segurança do histórico de saúde.

NOSSA VISÃO:
Tornar-se o sistema mundial de referência da informação da área da saúde até 2022, gerando dados relevantes e importantes para o ser humano.

NOSSOS VALORES:
Respeito, Igualdade, Confiança, Ética, Segurança, Qualidade de vida.

Ajude a Rais!

Contribua para que possamos continuar a promover uma vida saudável para cada vez mais pessoas.

Receba mais saúde por e-mail.

Comentários